DIGA SIM

20 de agosto de 2016
boletim-21-08-2016-grafica

A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim. (Isaías 6:8)

Converti-me em maio de 1997, persuadido pelo convite de um amigo quando ainda um adolescente de 16 anos. Neste contexto trabalhava como mecânico de manutenção Industrial formado pelo SENAI. Sempre fui um jovem tímido e com baixo alto estima. Cresci entre três irmãos em uma família muito simples e também cheia de crises, causados especialmente pelas dificuldades financeiras e confusões resultantes do alcoolismo que afligia a vida de meu pai.

Poucos meses depois, ao ouvir uma pregação ainda em VHS a respeito de missões, senti que Deus me chamava ao ministério. Lembro-me quando passei a orar pelo meu lar e a crer no novo texto que havia descoberto: “Crê no Senhor Jesus, e serás salvo, tu e tua casa”. (At 16:31) Em pouco tempo pude evidenciar a conversão genuína de meus pais e meus irmãos.

No ano seguinte o Senhor confirma meu chamado ao ministério, mesmo tento um conhecimento ínfimo a respeito do evangelho passei a orar sobre a possibilidade de ter tempo integral na obra de Deus. Entendi que precisava começar onde estava. Foi a partir dai que iniciei novo tempo de busca e a exercer o chamado de Deus conduzindo amigos da adolescência como também amigos do trabalho a Cristo, enquanto liderava a juventude da igreja a qual pertencia.

Em 2001 iniciei o seminário teológico, no mesmo tempo em que recebia o convite de um norte americano para desenvolver um trabalho missionário em nossa cidade em tempo integral. Foi quando abandonei minha antiga profissão para me entregar completamente ao ministério concedido por Deus. Enquanto liderava jovens também desenvolvemos um projeto especialmente em escolas publicas onde pudemos falar do evangelho a milhares de alunos no período de dez anos. A convicção do Chamado em junção com as promessas de Deus foram o que me mantiveram firme no propósito, quando fui surpreendido pelas crises e pressões internas as quais podem proporcionar o desânimo ou mesmo o abandono da missão.

Muitos são os casos de pessoas que se sentem chamados por Deus para uma grande realização, no entanto o desafio é de que simplesmente comecemos de onde estamos, conforme diz o apostolo: “Tão-somente vivamos de acordo com o que já alcançamos”. (Fl 3:16) Por isso, não há razão pra esperar. Comece agora, frutifique a partir dos lugares que Deus tem te colocado hoje. Disponibilize seus recursos e talentos para o reino de Deus e a salvação de almas. Seja uma testemunha entre seus familiares, amigos, colegas de trabalho ou de faculdade. Recentemente me chamou a atenção o testemunho de uma adolescente de 12 anos. Raquel, na ocasião fora desafiada a liderar um pequeno grupo de meninas. Com todos os seus medos e limitações ela aceitou, assim em 3 anos sua célula já havia se multiplicado 16 vezes, assim, aos 15 já tinha 150 meninas sob o seu pastoreio, simplesmente porque ela resolveu dizer sim para Deus.

Deus está clamado as seguintes palavras: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós?” E tudo o que Ele espera década um de seus filhos é que respondamos ao seu chamado como fez Isaías dizendo, “Eis-me aqui, envia-me a mim”. (Is 6:8) Percebemos no meio Cristão, muitos se dizendo chamados a exercerem missão entre outros povos, o que é nobre, contudo preocupa o fato de provavelmente não terem se compadecido pelo vizinho sem Cristo, ou por mera indiferença em relação ao frentista do posto, ou a caixa do supermercado, os quais tanto quanto são alvo do amor de Deus. Certamente que Deus elevará a lugares maiores quando nos comprometemos com as pequenas coisas, pois Ele mesmo disse: “Muito bem, servo bom e fiel; sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor”. (Mt 25:21).

Hoje podemos conhecer a Cristo porque pessoas como Moisés, Gideão, Isaías, os apóstolos, a mulher samaritana, Lutero, Calvino, entre muitos outros personagens de nosso tempo simplesmente disseram sim ao chamado e à grande comissão de Jesus de ir e fazer discípulos. Agora, portanto, é sua vez de dizer sim, para que um dia possa olhar pra traz e saber que foi responsável por marcar o seu tempo e impactar sua geração. Lembrando que missões se faz com todos indo, todos orando e todos contribuindo!

 

Missionário
Gustavo Emídio