FAZEI-O VÓS TAMBÉM A ELES

18 de junho de 2017
1806

“Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas”. Mateus 7:12

Este versículo é uma nova versão da “regra áurea”, que em sua forma judaica era formulada negativamente, “tudo quanto não quereis que te façam, não façais a outrem”.

Manter o controle para não causar prejuízo à uma pessoa, não é muito difícil; o complicado mesmo, é o de tomar a iniciativa de fazer algo bom para alguém.

A regra áurea formulada por Jesus tem como base a bondade e a misericórdia; o tipo de amor que Deus demonstra para conosco todos os dias. Como cristãos, temos o dever de manifestar ao “mundo” amor, bondade e misericórdia. O amor sem egoísmo, deve ser a força motriz das nossas ações “O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba; mas, havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará” (1Co 13:4-8).

Devemos chegar ao ponto máximo do amor e da fé em Deus, que é retribuir com bem a qualquer pessoa que, por algum motivo, nos ferir ou fazer qualquer mal. Foi assim que Deus respondeu à rebelião e indiferença da humanidade, oferecendo seu próprio filho em sacrifício, para nos salvar pela sua maravilhosa graça “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie”. (Ef 2:8-9).

Somente aquele que experimentou o amor de Cristo em sua vida e que ama a Deus e ao próximo com sinceridade de coração. Buscará perdoar tal como espera ser perdoado; ajudará tal como gostaria de ser ajudado; reconhecerá o que é bom nos outros tal como espera que se reconheça em você; compreenderá, tal como espera ser compreendido.

A questão não é deixar de fazer coisas; é fazer o que Deus espera que façamos.

É evidente que isto complicará um pouco sua vida; terá muito menos tempo livre para satisfazer seus desejos e atividades favoritas, porque será impulsionado pelo amor a deixar de fazer o que está fazendo para ajudar o teu próximo. Será um princípio que regerá sua vida no lar, no trabalho, na escola, na faculdade, no carro, no ônibus ou andando pelas ruas de Dourados, enfim, em todos os lugares.

Mas lembre-se, nunca conseguirá obedecer este princípio até que seu Eu seja cravado na cruz de Cristo e mortificado em seu coração. Para se submeter a este mandamento terá que permitir que o Espírito Santo o converta em uma nova pessoa, e que Jesus Cristo seja o centro de sua vida. Acredite, Dourados será bem melhor se procuramos obedecer esta verdade eterna. Deus nos ajude!