MÃE, A OBRA MAIS EXCELENTE

“Levantam-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada; seu marido também, e ele a louva. Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és, de todas, a mais excelente!”. Provérbios 31:28-29

Obviamente que não posso explicar o amor que brota no coração de uma mulher ao tornar-se mãe. Contudo, posso ao menos imaginar o desafio de carregar no ventre uma criaturinha ainda que informe, o qual no período de nove meses apronta-se para chegar, pois, compactuo com aquilo que outrora ouvi: “o útero da mulher é o portal divino para trazer vidas a este mundo, não levando em consideração as dores do parto que se torna ínfimo diante da alegria de dar a luz”. (João 16:21)

Espera um pouco, o desafio ainda não acabou. Pelo contrário, agora o desafio de criar, educar, cuidar e tantos outros vão surgindo a cada fase, por diversas vezes, na perplexidade de situações que a pegam de surpresa, ao mesmo tempo em que, sem vestibular ou muito menos um currículo, ela acaba exercendo profissões diversas tais quais, chefe de cozinha, cantora, nutricionista, estilista, animadora, decoradora de interiores, contadora de histórias, dançarina, professora, enfermeira entre outros, cuja recompensa encontra-se simplesmente na certeza de que tudo vai bem.

Ao mesmo tempo, esta mulher não se exime de suas responsabilidades de esposa, muitas das vezes também profissional, cumpre suas funções de cidadã, arca com suas responsabilidades como filha, nora, tia, vizinha, etc.

Esta deve ser considerada digna de g r a n d e respeito, pois sua presença no lar e na vida dos filhos b e n e f i c i a a sociedade e constrói um mundo mais agradável a todos. A bíblia diz em provérbios 31:28- 29: “Levantam-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada; seu marido também, e ele a louva. Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és, de todas, a mais excelente!”.

E de fato, mãe, saiba que você é sim a obra mais excelente, pois sem você não teríamos estrutura emocional para lidar com todas as adversidades, sem você tudo seria bem mais difícil. Obrigado por acreditar em nós, mesmo quando você era a única, por lutar por nós mesmo quando suas forças se esgotavam. Obrigado pelos valores transmitidos, pela paciência, pelas broncas, pelas famosas varadas nas pernas, pelos nãos necessários, por sua proteção, pelo amor sacrificial que tudo sofre, tudo crê, tudo espera e tudo suporta (1 Coríntios 13:7), o qual para nós, torna-se combustível para cumprir o propósito de nossa existência e até para realizar o impossível.

Saiba que neste dia especial, por mais que possamos dizer ou fazer, jamais expressaremos tudo o que você significa