TEMPOS DO FIM

21 de outubro de 2017
Relógio-Tempo

“Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis” – 2 Timóteo 3:1

 

 Nossa sociedade é sustentada sobre três importantes pilares, dos quais um deles é a moral judaico-cristã. Os princípios éticos judaicos ajudaram a normatizar as leis e regras de todo o Ocidente, os quais tratam da vida social, familiar e outros. Sem os mesmos valores, a humanidade corre sérios riscos, pois uma provável ruína deste pilar em nossa sociedade promoverá a destruição daquilo que mais amamos, a família.

O filósofo e político, Antônio Gramsci, já no século XX fora um dos instrumentos para promover a revolução cultural que se opõe aos valores cristãos da sociedade. O mesmo disse: “O mundo civilizado tem sido saturado com cristianismo por 2000 anos, e um regime fundado em crenças e valores judaico-cristãos não pode ser derrubado até que as raízes sejam cortadas”. De fato, de maneira muito agressiva e escancarada, todos os dias estamos sendo surpreendidos por ideologias que corrompem a identidade do individuo por meio da arte, mídia, politica, educação, que produzem destruição lenta e gradativa da cultura ocidental para fazer cumprir a agenda de desmoralização tão almejada por aqueles que dizendo-se sábios, tornaram-se loucos e trocaram a glória do Deus imortal […]; e desprezaram o conhecimento de Deus, e foram entregues a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam. Tornaram-se cheios de toda injustiça, maldade, ganancia e depravação. Estão cheios de inveja, homicídio, rivalidades, engano e malícia. São bisbilhoteiros, caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, arrogantes e presunçosos; inventam maneiras de praticar o mal; desobedecem a seus pais; são insensatos, desleais, sem amor pela família, implacáveis. Romanos 1:29-31

Estamos, evidenciamos o que fora escrito dois mil anos atrás: “Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens serão egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando o seu poder.” (2 Timóteo 3:1-5)

Atualmente, muito se tem ouvido acerca da tal ideologia de gênero, pois esta almeja reorientar o mundo em sua sexualidade empregando estratégias de dominação política e subversão sexual e cultural, pois a mesma vem sendo vendida na mídia como o novo símbolo de modernidade e evolução; as novelas de determinada emissora tem a clara finalidade de doutrinação, sem falar do fato de nossas crianças serem um dos principais alvos dessa proposta, as quais são violentados em sua identidade, bem como seus sistemas internos de valores morais, éticos e principalmente o religioso. Produzindo nas crianças um conflito interno a respeito das tradições da família, desembocará certamente uma guerra de valores dentro do próprio lar.

Para estes agentes de transformação, o cristianismo torna-se o principal opositor, e exatamente por isso Cristo torna-se alvo de ridicularizarão, como recentemente fora exposto no Queermuseu Santander Cultural e a mídia permanece inerte ao genocídio de cristãos pelo mundo a fora. Estes, não somente desprezam a criação conforme Gênesis 1,27, mas põe em risco a perpetuação, natureza e toda estrutura, emocional, moral, social, espiritual e psicológica da Família. Assim, diante de tamanha oposição, que sejamos fortalecidos em nossa fé, posicionemo-nos contra toda pauta anticristã, seja nas escolas, na arte, na mídia, etc. Como nunca antes devemos proteger nossas casas e propagar nossa fé de todos os meios possíveis, pois Satanás, o qual tem grande ira, sabe que já tem pouco tempo. (Apocalipse 12:12)