UMA IGREJA REFORMADA SEMPRE SE REFORMANDO

30 de setembro de 2017
lutero

Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá pela fé.
Romanos 1, 17

Estamos as portas de completarmos 500 anos da reforma protestante e isso deve nos trazer a memória não apenas uma data festiva, mas também uma responsabilidade de continuidade daquilo que nossos irmãos reformadores começaram, a frase uma igreja reformada sempre se reformando de acordo com a palavra de Deus precisa ecoar e cada dia mais fazer sentido em nossa comunidade de fé moderna.

Lutero foi quem em 31 de Outubro de 1517 fixou na catedral de Wittenberg as 95 teses que foram o estopim desencadeador da reforma protestante, dentre estas teses podemos citar 5 pilares essenciais que precisam ser relembrados dia após dia por nós que somos os continuadores deste rastro iniciado a 500 anos atrás.

Sola fide (somente a fé)
“Tão logo a moeda no cofre soa, A alma do purgatório salta”, esta frase era o slogan utilizado a fim de justificar as indulgências cobradas para que as almas fossem livres do purgatório. Este ponto é rebatido por Lutero com a justificação pela fé, apenas e exclusivamente pela fé podemos ser salvos, é um dom gratuito e imerecido oferecido por Deus, fomos justificados em Cristo Jesus. Nenhum de nossos bons atos, ou qualquer tipo de barganha com Deus pode nos proporcionar a salvação de nossas almas.

Sola scriptura (somente a Escritura)
Neste momento da história existiam muitas interferências do clero na vida cotidiana do cristão, as regras criadas pela igreja exerciam forte influência na vida prática gerando um peso que a bíblia não trazia. O acesso as escrituras era obtido apenas pelos sacerdotes, afinal o povo não tinha as escrituras em sua própria língua e sim no latim.

A bíblia como norteadora de todas as coisas foi proposta, uma volta as escrituras, onde ela é quem rege todas as coisas. Lutero trabalhou arduamente na tradução da palavra de Deus escrita para o alemão e isso possibilitou o acesso do povo, bem como diante das dificuldades de entendimento das escrituras ele elaborou panfletos e comentários bíblicos a fim de elucidar e facilitar a interpretação popular da bíblia.

Solus Christus (somente Cristo)
A secularização da fé havia afastado Cristo do centro de controle da vida cristã, o que segundo Mc Grath gerou uma confusão da cultura com os ensinamentos absolutos de Jesus, tudo estava se tornando permissivo e intuitivo. Jesus Cristo havia saído do foco da visão, apenas perifericamente fazia parte de um todo maior e não como centro que guiava as atitudes da igreja e de seus fiéis. A salvação estava sendo reafirmada no Cristo e em sua obra redentora, que foi imputada a nós por meio da fé.

Sola gratia (somente a graça)
Ainda hoje podemos perceber a cofiança de ser humano em si mesmo, nas suas forças e até mesmo em um evangelho de prosperidade, autossuficiência e que troca suas convicções de acordo com as necessidades. Diante disto somente a graça de Deus pela obra do Espírito Santo é que nos salvou e nos da uma nova vida em Cristo, somente baseado na graça divina, no seu favor imerecido no qual não temos nenhuma participação.

Soli Deo gloria (glória somente a Deus)
O interesse estava sendo perdido pelo sagrado e com isso a gloria a Deus estava sendo transferida a homens ou objetos.

A centralidade de Deus em todas as coisas estava sendo retomada, não para satisfazer nenhum tipo de desejo humano ou bem estar, mas sim para que Deus seja exaltado em todo tempo.

Diante de um cenário global onde a fluidez dos tempos tem nos feito esquecer aonde viemos como cidadãos, imagina como igreja, onde tudo se tornou relativo, onde as verdades não são excludentes e sim somatórias, se faz necessário que nos debrucemos no passado vislumbrando um presente real e um futuro palpado nas mesmas características que foram capazes de transformar a história. Que Deus nos abençoe.