APROVEITANDO OS CONTEXTOS

18 de fevereiro de 2017
APROVEITANDO-OS-CONTEXTOS

 E ficou ali um ano e seis meses, ensinando entre eles a palavra de Deus. Atos 18.11 Lucas 15:8

Hoje comemoramos o dia do esporte e podemos listar muitos motivos para que a prática esportiva seja constante em nosso cotidiano como, por exemplo: desenvolvimento de princípios de colaboração, espírito de atuação em convivência em grupo, estímulo a responsabilidade, ensino ao cumprimento de regras, ensino a canalizar as energias e impulsividade, ampliação da tolerância e respeito por si mesmo e pelos outros, além de promover crescimento físico e emocional, entre outros tantos.

Refletindo sobre estes benefícios físicos e emocionais também podemos pensar por que não aproveitarmos para “treinarmos” o espiritual ensinar a palavra de Deus como o versículo nos ensina.

Valer-se do contexto esportivo para sinalizar o reino de Deus não é algo novo e tem suas raízes nos tempos bíblicos. O apóstolo Paulo em diversas passagens bíblicas utiliza-se de metáforas esportivas para nos trazer ensinamentos valiosos como, por exemplo, em: “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis, todo atleta em tudo se domina, aqueles, para alcançarem uma corão corruptível, nós, porém, algo incorruptível.” (1 Coríntios 9-24,25), “Prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3,14), “ Igualmente, o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas”. (2 Timóteo 2,5), “Vós corríeis bem, quem vos impediu de continuardes de obedecer a verdade”. (Gálatas 5,7). Estudiosos da Bíblia nos mostram que estas metáforas foram adquiridas por Paulo quando ele por 18 meses se fixou em Corinto com Priscila e Áquila como nos é relatado no capítulo 18 de Atos.

Nesta oportunidade estavam acontecendo os jogos ístmicos naquela cidade, que segundo historiadores levavam cerca de 18 meses, exatamente o mesmo tempo que Paulo ficou naquele lugar.

Além dos jogos ístmicos, o apóstolo Paulo estava motivado a ir para Corinto a fim de aproveitar alguns contextos existentes. E podemos entender essa motivação estudando alguns aspectos históricos e sociais da cidade naquela época.

Corinto era uma das cidades mais importantes do velho mundo. Nela estava localizado um grande porto, gerando assim um dos comércios mais lucrativos da época. Pessoas de diversos lugares transitavam diariamente por Corinto, assim, imagino que Paulo decidiu estabelecer-se ali, pois teoricamente o evangelho seria levado a mais pessoas e exportado a outras nações.

Porém, como toda grande cidade, Corinto também possuía muitos problemas como a prostituição (ali havia a estátua da deusa Atenas), o homossexualismo (por conta do deus Apolo), o sincretismo reinava em suas mais diversas formas de expressão e as pessoas eram inclinadas às coisas da carne.

Penso se nesse momento em nosso país não estamos passando por um momento semelhante ao da cidade de Corinto. Somos um país em desenvolvimento e com uma importância internacional em diversas áreas, no entanto, também temos problemas semelhantes aos da cidade de Corinto.

Podemos perceber que o apóstolo Paulo era um homem de visão e um estrategista em algumas de suas atitudes. O fato de ter se juntado a Áquila e Priscila que tinham o mesmo ofício que ele, demonstra isso. Diante de um Brasil corrompido, assim como a cidade de Corinto, precisamos nos ajuntar com aqueles que possuem os mesmos objetivos, que procuram compartilhar aquilo que Deus tem nos oferecido, por isso, como igreja é preciso formar parcerias e disseminarmos a Boa Nova do Evangelho e o esporte é uma ótima oportunidade para que estas parcerias sejam feitas.

Diante de tudo isso, assim como o apóstolo Paulo precisamos continuar por meio dos ministérios esportivos de nossa igreja a utilizar esta ferramenta de linguagem universal tão poderosa e abrangente que é o esporte a fim de proclamarmos as boas novas da Salvação.

No amor do treinador (Jesus).